segunda-feira, 7 de abril de 2014

A concepção de ensino e aprendizagem dos Xikrin



Para os Kaiapó Xikrin*, os órgãos que permitem a aprendizagem são os olhos (no) e os ouvidos (mak). Eles recebem tratamentos e enfeites especiais, e devem ser desenvolvidos para que a criança esteja pronta a aprender. 

Entre outras coisas, por exemplo, as crianças devem ter o cuidado de não comer algumas coisas – como cabeça de peixe – que impedem o desenvolvimento do ouvido. Os jovens, quando se formam caçadores, devem-se abster de comer coisas que os impediriam de desenvolver bons olhos.

A importância desses órgãos é explicada pela própria concepção Xikrin de aprendizado. Eles dizem que se aprende vendo (omunh) e ouvindo (mari), e que isso só é possível com bons olhos e ouvidos. Mari não diz respeito apenas a ouvir, mas abrange um arco maior de capacidades e habilidades, e é o que permite a compreensão. 

Os Xikrin dizem que, para aprender, não basta apenas ficar olhando, mas deve-se reflectir e compreender o que se vê, e que isso é mari e só é possível com bons ouvidos. O conhecimento adquirido é mantido no coração, que deve ser forte e desenvolvido para armazená-lo.

fonte (Clarice Cohn)

*Os Xikrin vivem nas Terras Indígenas Cateté e Trincheira Bacajá no estado do Pará, na Floresta Amazónica do Brasil.

Sem comentários:

Publicar um comentário